Vivências e Elaborações sobre a Tentativa de Suicídio na Adolescência: Estudo de Caso Fenomenológico

Palavras-chave: tentativa de suicídio, adolescência, fenomenologia, pesquisa qualitativa

Resumo

A tentativa de suicídio, fenômeno complexo, é problema de saúde pública: índices são alarmantes. Objetivamos apresentar estudo de caso fenomenológico sobre como adolescente que tentou suicídio elabora essa experiência. Realizamos entrevista semiestruturada com uma adolescente, analisada fenomenologicamente. Resultados exaltam situações de sofrimento existencial: tristeza, solidão, ressentimento por se perceber criticada e rejeitada em relações familiares e afetivas. Quando tentou suicídio, rejeições foram vividas de forma totalizante, obliterando outros sentidos da existência. Essa tentativa, elaborada como impulsiva, incide em como se percebe e relaciona com o outro: alguns a estigmatizam enquanto outros a acolhem e compreendem, mobilizando novas elaborações sobre si e seu mundo-da-vida. Discutimos como a experiência após tentativa não consumada pode ser mais dramática que a anterior ao ato. Concluímos ser urgente compreender consequências de como se lida com quem tentou se matar, destacando a importância do cuidado para que a pessoa elabore sua experiência com abertura e autenticidade.

Biografia do Autor

Andersson José Aparecido de Oliveira, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Bacharel em Humanidades pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Discente do curso de Fisioterapia na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). Bolsista de Iniciação Científica pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Roberta Vasconcelos Leite, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Doutorado em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mestrado  e graduação em Psicologia pela UFMG. Professora da graduação do curso de Medicina e da pós-graduação do programa de pós-graduação em Ciências Humanas na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Yuri Elias Gaspar, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM)

Doutorado, mestrado e graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Professor do bacharelado interdisciplinar em Ciências Humanas e da pós-graduação em Ciências Humanas na Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). 

Referências

Amatuzzi, M. M. (2008). Por uma psicologia humana (2a ed.). Campinas: Alínea.

Angerami-Camon, V. A. (2017). Solidão a ausência do outro (5a ed.). Belo Horizonte: Artesã.

Aquino, T. A. A. (2009). Atitudes e intenções de cometer o suicídio: seus correlatos existenciais e normativos. (Tese de Doutorado, Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, PB).

Avanci, R. C., Pedrão, L. J., & Costa Júnior, M. L. (2005). Tentativa de suicídio na adolescência: considerações sobre a dificuldade de realização diagnóstica e a abordagem do profissional de enfermagem. SMAD - Revista eletrônica saúde mental álcool e drogas, 1(1), 1-8. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-69762005000100007&lng=pt&tlng=pt

Barreira, C. R. A., & Ranieri, L. P. (2013). Aplicação das contribuições de Edith Stein à sistematização de pesquisa fenomenológica em psicologia: a entrevista como fonte de acesso às vivências. In M. Mahfoud, & M. Massimi (Orgs.), Edith Stein e a psicologia: teoria e pesquisa (pp. 449-466). Belo Horizonte: Artesã.

Bauman, Z. (2007). Tempos Líquidos. Rio de Janeiro: Zahar.

Berger, P. & Luckmann, T. (2012). Modernidade, pluralismo e crise de sentido: a orientação do homem no mundo moderno (3a ed.). (E. Orth, Trad.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Botega, N. J. (2014). Comportamento suicida: epidemiologia. Psicologia USP, 25(3), 231-236.

Buber, M. (2004). Eu e Tu. (N. A. von Zuben, Trad.). São Paulo: Centauro. (Original publicado em 1923).

Cassorla, R. M. S. (2004). Suicídio e autodestruição humana. In B. G. Werlang & N. J. Botega (Orgs.), Comportamento suicida (pp. 21-33). Porto Alegre: Artmed.

Chaves, A. A., Macedo, M. R. C., Cordeiro, C. A. F., Leite, E. O., Mendes, L. P., Almeida, S. J. M., Halboth, N. V. (2015). Prevenção de suicídios: é importante que todos estejam preparados? Capacitação 2014. In Anais da IV Semana integração do ensino, pesquisa e extensão da UFVJM. (p. 247). Diamantina: UFVJM.

Corrêa, H., & Barrero, S. P. (Orgs.). (2006). Suicídio: Uma morte evitável. São Paulo: Atheneu.

Dantas, A. P., Azevedo, U. N., Nunes, A. D., Amador, A. E., Marques, M. V., & Barbosa, I. R. (2018). Analysis of suicide mortality in Brazil: spatial distribution and socioeconomic context. Brazilian Journal of Psychiatry, 40(1), 12-18. doi:https://doi.org/10.1590/1516-4446-2017-2241

Duarte, C. Z. C. G. (2015). Adolescência e sentido de vida. Curitiba: CRV.

Dutra, E. M. S. (2000). Compreensão de tentativas de suicídio de jovens sob o enfoque da abordagem centrada na pessoa. (Tese de Doutorado em Psicologia, Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP).

Erikson, E. (1998). O ciclo de vida completo. São Paulo: Artmed.

Faro, A., & Santos, L. C. S. (2018). Suicídio na adolescência: Panorama, cuidados e escuta. In V. A. Angerami (Org.), Sobre o suicídio: A psicoterapia diante da autodestruição (pp. 169-189). Belo Horizonte: Artesã.

Frankl, V. E. (1994). Em busca de sentido: Um psicólogo no campo de concentração. Petrópolis, RJ: Vozes.

Frankl, V. E. (2005). Um sentido para a vida: Psicoterapia e humanismo (19a ed.). Aparecida, SP: Ideias e Letras.

Frankl, V. E. (2015). O sofrimento de uma vida sem sentido: Caminhos para encontrar a razão de viver. São Paulo: É Realizações.

Freitas, M. L. V. (2005). Razões para tentativas suicidas em adolescentes: Desafio para a educação em saúde. (Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE).

Fukumitsu, K. O., & Sousa, F. B. (2015). O cuidado como fator de proteção do suicídio. Revista Brasileira de Psicologia, 2(2), 28-32.

Gaspar, Y. E. (2014). Unidade na diversidade: Investigação fenomenológica de experiências de encontro inter-religioso. (Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG).

Husserl, E. (2006). Idéias para uma fenomenologia pura e para uma filosofia fenomenológica. (M. Suzuki, Trad.). Aparecida, SP: Idéias e Letras. (Publicação original póstuma de 1952).

Husserl, E. (2012). A crise das ciências européias e a fenomenologia transcendental: Uma introdução à filosofia fenomenológica. (D. F. Ferrer, Trad.). São Paulo: Forense Universitária. (Publicação original póstuma de 1954).

Kovács, M. J. (Org.). (1992). Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Landsberg, P. L. (2009). Ensaio sobre a experiência da morte e outros ensaios. Rio de Janeiro: Contraponto.

Leite, R. V., & Mahfoud, M. (2010). Rigor e generalização em pesquisas sobre fenômenos culturais: contribuições de um percurso de pesquisas fenomenológicas. In Anais do IV Seminário Internacional de Pesquisa e Estudos. (pp. 1-9). São Paulo: SE&PQ.

Mahfoud, M. (2018). Vale a pena viver? A pergunta radical requer resposta pessoal. In V. A. Angerami (Org.), Sobre o suicídio: A psicoterapia diante da autodestruição (pp. 423-433). Belo Horizonte: Artesã.

Lipovetsky, G. (2004). Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla.

Silva, T. P. S, Sougey, E. B., & Silva, J. (2015). Estigma social no comportamento suicida: reflexões bioéticas. Revista Bioética, 23(2), 419-426.

Stein, E. (2003). Estructura de la persona humana. In E. Stein, Escritos antropológicos y pedagógicos (Obras Completas, Vol. 4, pp. 555-749). (F. J. Sancho et al., Trads.). Vitoria, Espanha: El Carmen. (Publicação original de 1932-1933).

Stein, E. (2005). Contribuciones a la fundamentación filosófica de la psicología y de las ciencias del espíritu. In E. Stein, Escritos filosóficos: Etapa fenomenológica (Obras Completas, Vol. 2, pp. 207-520). (F. J. Sancho et al., Trads.). Burgos, Espanha: Monte Carmelo. (Publicação original de 1922).

United States Department of Health and Human Services. (2012). 2012 National strategy for suicide prevention: Goals and objectives for action. Washington: HHS.

Van der Leeuw, G. (1964). Fenomenología de la religión. (E. de la Peña, Trad.). México: Fondo de Cultura Económica.

Waiselfisz, J. J. (2014). Mapa da violência: Os jovens do Brasil. Recuperado de http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2014/Mapa2014_JovensBrasil.pdf

World Health Organization. (2014). Preventing suicide: A global imperative. Geneva: World Health Organization. Recuperado de http://apps.who.int/iris/bitstream/10665/131056/1/9789241564779_eng.pdf?ua=1

Publicado
2021-09-28
Como Citar
de Oliveira, A. J. A., Leite, R. V., & Gaspar, Y. E. (2021). Vivências e Elaborações sobre a Tentativa de Suicídio na Adolescência: Estudo de Caso Fenomenológico. Revista Psicologia E Saúde, 13(2), 19-32. https://doi.org/10.20435/pssa.v13i2.1102
Seção
Artigos