Deficiência Física Adquirida e Aspectos Psicológicos: Uma Revisão Integrativa da Literatura

Palavras-chave: autoestima, autonomia, inclusão, Psicologia, qualidade de vida

Resumo

Objetivando investigar os aspectos psicológicos relacionados à deficiência física adquirida na fase adulta, o estudo utilizou como método a revisão de literatura integrativa, com abordagem qualitativa de artigos nacionais publicados no período entre 2009 e 2018, mediante buscas efetuadas nas bases CAPES, SciELO e Google Acadêmico, com os descritores “deficiência física” e “deficiência adquirida”. Ao total, 10 artigos foram analisados, e os resultados sugerem que um adulto adquirir uma deficiência física pode impactar diretamente na autonomia e na autoestima, colidindo com diversos aspectos psicológicos ligados à sexualidade, a relações familiares, sociais, afetivas e profissionais. A análise dos estudos permite concluir que os aspectos psicológicos se inter-relacionam e que a reestruturação destes pode promover uma melhor qualidade de vida. Destaca-se a necessidade de publicações que tratem dessas questões, visando a uma compreensão mais aprofundada acerca do impacto das deficiências físicas adquiridas.

Biografia do Autor

Talitha Kshesek Pizarro de Oliveira, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR)
Graduada em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba, PR. Psicóloga na Vivre Psicologia Clínica.
Camila Maia de Oliveira Borges Paraná, Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR)

Professora do curso de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), Curitiba

Referências

Brasil. (1999). Decreto n. 3298 (20 de dezembro). Regulamenta a Lei n. 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. Brasília-DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm

Brasil. (2015). Lei n. 13.146 (6 de julho). Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Estatuto da Pessoa com Deficiência. Brasília-DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm

Carvalho-Freitas, M. N., Silva, V. A., Tette, R. P. G., Veloso, H. S., Rocha, P. C. (2018). Retorno às atividades laborais entre amputados: Qualidade de vida no trabalho, depressão e ansiedade. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, 18(4), 468-475. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?pid=S1984-66572018000400003&script=sci_abstract&tlng=es

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2013). Pesquisa Nacional de Saúde. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado de http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/pns/2013/

Lima, C. G.; Torres, I. P. F.; Rachid, N. R., Filho (2014). Aspectos psicológicos associados à sexualidade do lesado medular. Estação Científica. Recuperado de http://portal.estacio.br/docs%5Crevista_estacao_cientifica/04.pdf

Lopes, E. M. C.; Leite, L. P. (2015). Deficiência adquirida no trabalho em policiais militares: Significados e sentidos. Psicologia & Sociedade, 27(3), 668-677. Recuperado de http://submission.scielo.br/index.php/psoc/article/view/136880

Maia, A. C. B. (2010). A importância das relações familiares para a sexualidade e a autoestima de pessoas com deficiência física. Portal dos Psicólogos, 1-10. Recuperado de http://www.psicologia.pt/artigos/textos/A0515.pdf

Martins, J. A.; Barsaglini, R. A. (2010). Aspectos da identidade na experiência da deficiência física: Um olhar socioantropológico. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, 15, p. 109-122. Acessado de https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1414-32832011000100009&script=sci_arttext&tlng=pt

Mattos, C. D. (2015). O Processo de luto diante da deficiência física adquirida: Análise de um relato de caso. Psicologado, Edição 08/2015. Recuperado de https://psicologado.com.br/atuacao/psicologia-clinica/o-processo-de-luto-diante-da-deficiencia-fisica-adquirida-analise-de-um-relato-de-caso

Organização Mundial da Saúde [OMS]. (2011). Relatório Mundial sobre a Deficiência / World Report on Disability. The World Bank (Lexicus Serviços Linguísticos, trad.). São Paulo: SEDPcD. Recuperado de http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/RELATORIO_MUNDIAL_COMPLETO.pdf

Pimentel, S. C.; Pimentel, M. C. (2018). Ressignificando a deficiência: A necessidade de revisão conceitual para definição de políticas públicas. Revista Direitos Sociais e Políticas Públicas, 5(2), 1039-1054. Recuperado de http://dx.doi.org/10.25245/rdspp.v5i2.258

Resende, M. C.; Gouveia, V. V. (2011) Qualidade de vida em adultos com deficiência física. Psicologia: Reflexão e Crítica, 24(1), 99-106. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/prc/v24n1/v24n1a12

Rodrigues, F. C. P.; Antunes, D. A. (2010). Considerações sobre o paciente com lesão raquimedular ou vítima de trauma: Um estudo qualitativo. Nursing, 13(150), 573-579. Recuperado de https://www.researchgate.net/profile/Francisco_Rodrigues9/publication/297730444_CONSIDERACOES_SOBRE_O_PACIENTE_COM_LESAO_RAQUIMEDULAR_OU_VITIMA_DE_TRAUMA_UM_ESTUDO_QUALITATIVO/links/56e1780a08aec09a8bc07b74/CONSIDERACOES-SOBRE-O-PACIENTE-COM-LESAO-RAQUIMEDULAR-OU-VITIMA-DE-TRAUMA-UM-ESTUDO-QUALITATIVO.pdf

Santos, J. C., Carvalho-Freitas, M. N. (2018). Sentidos do trabalho para pessoas com deficiência adquirida. Psicologia & Sociedade, 30, 1-1.. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-71822018000100202&script=sci_abstract&tlng=es

Santos, W. S., Dias, J. C., Kian. G. C., Silva, P. Y. F., Rodrigues, L. B. (2015). Homens portadores de deficiência física adquirida: Estigmas e preconceitos vivenciados que interferem em sua sexualidade. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, 2(6), 1-5. Recuperado de http://interfaces.leaosampaio.edu.br/index.php/revista-interfaces/article/view/450

Silva, P. Y. F., Santos, W. S., Kian, G. C., Rodrigues, L. B. (2015). A expressão da sexualidade em homens portadores de deficiência física adquirida. Revista Interfaces: Saúde, Humanas e Tecnologia, 2(6), 1-4. Recuperado de http://interfaces.leaosampaio.edu.br/index.php/revista-interfaces/article/view/452

Souza, M. T., Silva, M. D., Carvalho, R. (2010). Revisão integrativa: O que é e como fazer. Einstein, 8(1), pt 1, 102-106. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/eins/v8n1/pt_1679-4508-eins-8-1-0102

Publicado
2021-09-28
Como Citar
Oliveira, T. K. P. de, & Paraná, C. M. de O. B. (2021). Deficiência Física Adquirida e Aspectos Psicológicos: Uma Revisão Integrativa da Literatura. Revista Psicologia E Saúde, 13(2), 97-110. https://doi.org/10.20435/pssa.v13i2.1212
Seção
Artigos