Escutando quem cuida: quando o cuidado afeta a saúde do cuidador em saúde mental

  • Maria Lovâni Pereira Gomes Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
  • José Carlos Barboza da Silva Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
  • Eraldo Carlos Batista Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
Palavras-chave: Família, sobrecarga, sofrimento mental.

Resumo

O objetivo com este estudo foi compreender as implicações que as atividades de cuidado têm na vida dos cuidadores de um familiar em sofrimento mental. Utilizando uma abordagem qualitativa, a pesquisa foi realizada com seis cuidadores de ambos os sexos; a coleta dos dados ocorreu por meio de entrevista semiestruturada; e a análise foi feita com base nos princípios teóricos da Análise de Conteúdo de Laurence Bardin. Buscando a similaridade nas experiências, os relatos foram agrupados em dois temas de análise: o familiar tornando-se cuidador e a saúde dos cuidadores. Foi possível perceber que o processo de adoecimento psíquico acarreta mudanças em todo o sistema familiar, mas que o cuidador principal é o que mais sofre os impactos dessas mudanças e, na maioria dos casos, não tem com quem compartilhar esse sofrimento.

Biografia do Autor

Maria Lovâni Pereira Gomes, Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
Graduada em Psicologia pela Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR).
José Carlos Barboza da Silva, Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
Professor do departamento de Psicologia da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR).
Eraldo Carlos Batista, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)
Doutorando em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica (PUC/RS), Professor colaborador da Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Referências

Albuquerque, E. P. T, Cintra, A. M. O, & Bandeira, M. (2010). Sobrecarga de familiares de pacientes psiquiátricos: Comparação entre diferentes tipos de cuidadores. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 59(4), 308-16. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852010000400007

Almeida, M. M., Schal, V. T., Martins, A. M., & Modena, C. M. (2010). A sobrecarga de cuidadores de pacientes com esquizofrenia. Rev. Psiquiatr. Rio Gd. Sul, 32(3), 73-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-81082010005000003

Bandeira, M., Tostes, J. G. D. A., Santos, D. C. S., Lima, D. C., & Oliveira, M. S. D. (2014). Sobrecarga de familiares cuidadores de pacientes psiquiátricos: Relação com assertividade. Psico USF, 19(3), 399-409. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-82712014019003003

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Barroso, S. M., Bandeira, M., & Nascimento, E. (2007). Sobrecarga de familiares de pacientes psiquiátricos atendidos na rede pública. Rev. Psiq. Clín, 34(6), 270-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-60832007000600003

Barroso, S. M., Bandeira, M., & Nascimento, E. (2009). Fatores preditores da sobrecarga subjetiva de familiares de pacientes psiquiátricos atendidos na rede pública de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Cad. Saúde Pública, 25(9), 1957-68. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000900010

Batista, C. F., Bandeira, M., & Oliveira, D. R. (2015). Fatores associados à sobrecarga subjetiva de homens e mulheres cuidadores de pacientes psiquiátricos. Ciênc. Saúde Coletiva, 20(9), 2857-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015209.03522014

Batista, C. M. F., Bandeira, M. D. B., Quaglia, M. A. C., Oliveira, D. C. R. D., & Albuquerque, E. P. T. D. (2013). Sobrecarga de familiares de pacientes psiquiátricos: Influência do gênero do cuidador. Cad Saúde Coletiva, 21(4), 359-69. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-462X2013000400002

Borba, L. O., Paes, M. R., Guimarães, A. N., Labronici, L. M., & Maftum, M. A. (2011). A família e o portador de transtorno mental: Dinâmica e sua relação familiar. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(2), 442-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000200020

Brasil. Ministério da Saúde. (2011). Portaria n. 3.088, 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, Brasília, DF.

Cardoso, L., Vieira, M. V., Ricci, M. A. M., & Mazza, R. S. (2012). Perspectivas atuais sobre a sobrecarga do cuidador em saúde mental. Rev. Esc. Enferm. USP, (46)2, 513-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000200033

Cavalheri, S. C. (2010). Transformações do modelo assistencial em saúde mental e seu impacto na família. Revista Brasileira de Enfermagem, 63(1), 51-57. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672010000100009

Dametto, C. (2012). O psicótico e seu tratamento. Petrópolis, RJ: KBR.

Dejours, C. (2007). O trabalho entre sofrimento e prazer. In C. Dejours (Ed.), A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: FGV.

Delgado, P. G. (2014). Sobrecarga do cuidador, solidariedade e estratégia de lida na experiência de familiares de Centros de Atenção Psicossocial. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 24(4), 1103-26. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312014000400007

Eloia, S. C., Oliveira, E. N., Eloia, S. M. C., Lomeo, R. C., & Parente, J. R. F. (2014). Sobrecarga do cuidador familiar de pessoas com transtorno mental: Uma revisão integrativa. Saúde em Debate, 38(103), 996-1007. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0103-1104.20140085

Freitas, B. S., Matos, C. C. R., Silva, P. M., Santos, J. S., & Batista, E. C. (2017). Perfil de usuários diagnosticados com esquizofrenia de um CAPS do interior de Rondônia. Nucleus, 14(1), 41-54. DOI: http://dx.doi.org/10.3738/1982.2278.1704

Gomes, T. B., & Santos, J. B. F. D. (2016). Dilemas e vicissitudes de famílias em situação de vulnerabilidade social no contexto da desinstitucionalização psiquiátrica. Physis, 26(1), 271-87. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312016000100015

Kebbe, L. M., Rôse, L. B. R., Fiorati, R. C., & Carretta, R. Y. D. (2014). Cuidando do familiar com transtorno mental: desafios percebidos pelos cuidadores sobre as tarefas de cuidar. Saúde em Debate, 38(102), 494-505. DOI: 10.5935/0103-1104.20140046

Maciel, S. C., Barros, D. R., Silva, A. O., & Camino, L. (2009). Reforma psiquiátrica e inclusão social: Um estudo com familiares de doentes mentais. Psicologia: Ciência e Profissão, 29(3), 435-47. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/pcp/v29n3/v29n3a02.pdf

Melman, J. (2008). Família e doença mental: Repensando a relação entre profissionais de saúde e familiares. São Paulo: Escrituras.

Olegário, B. B., Beuter, M., Girardon-Perlini, N. M. O., Brondani, C. M., Budó, M. D. L. D., & dos Santos, N. O. (2012). A sobrecarga do familiar cuidador no âmbito domiciliar: Uma revisão integrativa da literatura. Revista Gaúcha de Enfermagem, 33(1), 147-56. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472012000100020

Palmar-Santos, A. M. (2015). Cuidado familiar de pessoas com doenças mentais graves: Uma revisão integrativa. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 23(2), 352-60. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-1169.0138.2562

Pegoraro, R. F., & Caldana, R. H. L. (2008). Sofrimento psíquico em familiares de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Interface, 2(25), 295-307. Disponível em http://www.scielosp.org/pdf/icse/v12n25/a06v1225.pdf

Pimenta, E., & Romagnoli, R. C. (2008). A relação com as famílias no tratamento dos portadores de transtorno mental realizado no Centro de Atenção Psicossocial. Pesquisas e Práticas Psicossociais, 3(1), 75-84. Disponível em http://www.ufsj.edu.br/portal2-repositorio/File/revistalapip/volume3_n1/pdf/Pimenta_Romagnoli.pdf

Porto, G., & Lustosa, M. A. (2010). Psicologia hospitalar e cuidados paliativos. Revista da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar, 3(1), 77-93. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rsbph/v13n1/v13n1a07.pdf

Reis, T. L., Dahl, C. M., Barbosa, S. M., Teixeira, M. R., & Delgado, P. G. G. (2016). Sobrecarga e participação de familiares no cuidado de usuários de Centros de Atenção Psicossocial. Saúde em Debate, 40(109), 70-85. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201610906

Rosa, L. M. S. (2011). Transtorno mental e o cuidado na família. São Paulo: Cortez.

Rosa, L. M. S. (2001). E afinal, quem cuida dos cuidadores? In Caderno de textos, III Conferência Nacional de Saúde Mental (pp. 168-173). Brasília, DF: Ministério da Saúde; Conselho Nacional de Saúde.

Santin, G., & Klafke, T. E. (2011). A família e o cuidado em saúde mental. Barbarói, 34, 146-60. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/barbaroi/n34/n34a09.pdf

Santos, J. C. (2013). O estigma da doença mental: Compreensão e ações dos trabalhadores dos CAPS (Dissertação de Mestrado em Ciências, Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, São Paulo).

Santos, D. C. S., & Bandeira, M. (2016). Estratégias de enfrentamentos e sobrecarga dos familiares cuidadores de pacientes psiquiátricos: Revisão de literatura. Revista Psicologia em Pesquisa, 9(1), 88-104. DOI: http://dx.doi.org/10.5327/Z1982-1247201500010011

Santos, R. L., Sousa, M. F. B., Brasil, D., Dourado, M. (2011). Intervenções de grupo para sobrecarga de cuidadores de pacientes com demência: Uma revisão sistemática. Revista de Psiquiatria Clínica, 38(4), 161-7. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rpc/v38n4/a09v38n4

Silva, F. M., Batista, E. C., & Cerqueira, G. R. (2017). O uso de fármacos ansiolíticos e antidepressivos pelo cuidador de idoso acamado. Saúde em Foco, 3(2), 62-76. DOI: http://dx.doi.org/10.12819/rsf.2016.3.2.5

Soares, C. B., & Munari, D. B. (2007). Considerações acerca da sobrecarga em familiares de pessoas com transtornos mentais. Ciência, Cuidado e Saúde, 6(3), 357-362. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v6i3.4024

Vicente, J. B., Mariano, P. P., Buriola, A. A., Paiano, M., Waidman, M. A. P., & Marcon, S. S. (2013). Aceitação da pessoa com transtorno mental na perspectiva dos familiares. Rev. Gaúcha Enferm., 34(2), 54-61. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rgenf/v34n2/v34n2a07.pdf

Publicado
2018-03-23
Como Citar
Gomes, M. L. P., Silva, J. C. B. da, & Batista, E. C. (2018). Escutando quem cuida: quando o cuidado afeta a saúde do cuidador em saúde mental. Revista Psicologia E Saúde, 10(1), 3-17. https://doi.org/10.20435/pssa.v10i1.530
Seção
Artigos