A Humanização na Formação Acadêmica em Saúde: Perspectiva de Egressos de um Projeto de Extensão

Palavras-chave: relações interprofissionais, ensino, capacitação profissional, humanização da assistência, Sistema Único de Saúde (SUS)

Resumo

Um desafio para as instituições de ensino superior é a formação pautada nas políticas de saúde, tendo os projetos de extensão colaborado para suprir essas demandas. Neste trabalho, investigou-se a concepção acerca do processo de formação e a humanização em saúde, pela perspectiva de ex-colaboradores de um projeto de extensão multidisciplinar. Trata-se de um estudo qualitativo-exploratório, com dados coletados por meio de entrevistas semidirigidas e analisados pela análise de conteúdo categorial. Foram delineadas categorias referentes à formação curricular, autogestão estudantil e aprendizados advindos desta prática. Foram discutidos os currículos e como uma aprendizagem pautada na autonomia, no protagonismo e no lúdico pode desenvolver habilidades singulares e essenciais para o profissional. Percebe-se, ademais, uma mudança nos paradigmas de ensino e atuação em saúde, apontando para a relevância de espaços onde os estudantes possam vivenciar processos que contemplem o âmbito político, social e subjetivo do cuidado.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Moraes Silva, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Graduada em Psicologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Atualmente é psicóloga clínica em consultório particular.

Maíra Bonafé Sei, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Doutora e mestre em Psicologia Clínica pela Universidade de São Paulo (USP). Graduada em Psicologia pela USP. Atualmente é professora adjunta do Departamento de Psicologia e Psicanálise da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Biscarde, D. G. S., Pereira-Santos, M., & Silva, L. B. (2014). Formação em saúde, extensão universitária e Sistema Único de Saúde (SUS): Conexões necessárias entre conhecimento e intervenção centradas na realidade e repercussões no processo formativo. Interface: Comunicação, Saúde e Educação, 18(48), 177-186. doi:https://www.doi.org/10.1590/1807-57622013.0586

Brasil. Ministério da Educação. (2001). Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição. Brasília, DF: Ministério da Educação. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/ces1133.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2004). HumanizaSUS. Política Nacional de Humanização: A Humanização como Eixo Norteador das Práticas de Atenção e Gestão em Todas as Instâncias do SUS (Textos Básicos de Saúde, Série B). Brasília, DF: Ministério da Saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_2004.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2009). Clínica Ampliada e Compartilhada (Textos Básicos de Saúde, Série B). Brasília, DF: Ministério da Saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/clinica_ampliada_compartilhada.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. (2010). Cadernos HumanizaSUS (Formação e Intervenção, Vol. 1). Brasília, DF: Ministério da Saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_humanizaSUS.pdf

Ceccim, R. B., & Feuerwerker, L. C. M. (2004). Mudança na graduação das profissões de saúde sob o eixo da integralidade. Cadernos de Saúde Pública, 20(5), 1400-1410. doi:https://www.doi.org/10.1590/S0102-311X2004000500036

Corsino, D. L. M, & Santos, M. S. (2018). Sensibilizarte: 10 anos existindo e colorindo. In D. L. M Corsino, M. S. Santos, & M. B. Sei (Orgs.), Sensibilizarte: Decompondo as paredes brancas em cores - um corredor de encontros, histórias, canções, recortes e narizes (1a ed., pp. 37-48). Londrina: Universidade Estadual de Londrina.

Corsino, D. L. M., & Sei, M. B. (2019). A Humanização nas grades curriculares de cursos da saúde de universidades públicas paranaenses. Revista Psicologia e Saúde, 11(1), 43-52. doi:https://www.doi.org/10.20435/pssa.v0i0.579

Costa, D. A. S., Silva R. F., Lima V. V., & Ribeiro E. C. O. (2018). Diretrizes curriculares nacionais das profissões da Saúde 2001-2004: Análise à luz das teorias de desenvolvimento curricular. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, 22(67), 1183-1195. doi:https://www.doi.org/10.1590/1807-57622017.0376

Fontanella, B. J. B., Ricas, J., & Turato, E. R. (2008). Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: Contribuições teóricas. Cadernos de Saúde Pública, 24(1), 17-27. doi:https://www.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003

Goulart, B. N. G., & Chiari, B. M. (2010). Humanização das práticas do profissional de saúde: contribuições para reflexão. Ciência & Saúde Coletiva, 15(1), 255-268. doi:https://www.doi.org/10.1590/S1413-81232010000100031

Klafke, T. E., Araújo, B. R., & Cardoso, C. G. (2013). Formação em saúde e protagonismo estudantil: Grupo de estudos e trabalhos em saúde coletiva. Psicologia Ensino & Formação, 4(1), 3-19. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2177-20612013000100002&lng=pt&tlng=pt

Lanzieri, P. G., Claro, L. B. L., Bragança, F. C. R., Montezano, V. R. S., & Silva, C. S. (2011). "Boa noite, bom dia HUAP!", uma experiência de humanização na formação de profissionais da área de saúde. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, 15(36), 289-298. doi:https://www.doi.org/10.1590/S1414-32832010005000031

Lima, C. C., Guzman, S. M., De Benedetto, M. A. C., & Gallian, D. M. C. (2014). Humanidades e humanização em saúde: A literatura como elemento humanizador para graduandos da área da saúde. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, 18(48), 139-150. doi:https://www.doi.org/10.1590/1807-57622013.0708

Machado, I. C., Miranda, F. S., & Sei, M. B. (2019). O artesanato no projeto Sensibilizarte: Potencialidades na prática da humanização. Interfaces: Revista de Extensão da UFMG, 7(1), 1-591. Recuperado de https://www.ufmg.br/proex/revistainterfaces/index.php/IREXT/article/view/401/pdf

Nóbrega-Therrien, S. M., Guerreiro, M. G. S., Moreira, T. M. M., & Almeida, M. I. (2010). Projeto Político Pedagógico: Concepção, construção e avaliação na enfermagem. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 44(3), 679-686. doi:https://www.doi.org/10.1590/S0080-62342010000300018

Oliveira, F. L. B., & Almeida, J. J., Jr. (2015). Extensão universitária: Contribuições na formação de discentes de Enfermagem. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, 17(1), 19-24. doi:https://www.doi.org/10.21722/rbps.v17i1.12445

Oliveira, G. C., Murata, M. M., & Sei, M. B. (2015). A influência do projeto Sensibilizarte na formação do psicólogo. Psicologia Ensino & Formação, 6(2), 68-86. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S217720612015000200006&lng=pt&tlng=pt

Paiva, M. L. de F. (2013). Contribuições do pronto sorriso na formação do profissional de saúde (Dissertação de mestrado). Recuperado de https://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/3890

Rosevics, L., Aguiar, D. A., Borges, C. R., Hasegawa, R., Filho, Yamashita, T. S., Manchak, A. C., & Azevedo, V. F. (2014). ProCura – A arte da vida: Um projeto pela humanização na saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, 38(4), 486-492. doi:https://www.doi.org/10.1590/S0100-55022014000400010

Rosito, M. M. B., & Loterio, M. G. (2012). Formação do Profissional em Saúde: Uma recusa ao esvaziamento da essência do cuidado humano. Educação & Realidade, 37(1), 125-142. doi:https://www.doi.org/10.1590/2175-623621802

Schneider, L. M., & Vieira, K. de V. (2011). Saúde e Educação: A humanização do saber através da consciência. Saúde & Transformação Social, 1(2), 116-123. Recuperado de http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/saudeetransformacao/article/view/519

Silva, C. E. C. (2016). A contação de histórias na extensão universitária e sua contribuição para a formação acadêmica (Dissertação de mestrado). Recuperado de http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/6617

Silva, I. D., & Silveira, M. F. A. (2011). A humanização e a formação do profissional em fisioterapia. Ciência & Saúde Coletiva, 16(Supl.1), 1535-1546. doi:https://www.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700089

Silva, L. A., Muhl, C., & Moliani, M. M. (2015). Ensino médico e humanização: Análise a partir dos currículos de cursos de medicina. Psicologia Argumento, 33(8), 298-309. doi:https://www.doi.org/10.7213/psicol.argum.33.080.AO06

Turato, E. R. (2013). Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: Construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas (6a ed.). Petrópolis: Vozes.

Publicado
2021-11-17
Como Citar
Silva, A. C. de M., & Sei, M. B. (2021). A Humanização na Formação Acadêmica em Saúde: Perspectiva de Egressos de um Projeto de Extensão. Revista Psicologia E Saúde, 13(3), 3-18. https://doi.org/10.20435/pssa.v13i3.1269
Seção
Artigos