Fatores Associados à Satisfação com a Vida de Idosos Usuários de Unidades Básicas de Saúde

Palavras-chave: velhice, saúde, promoção da saúde, satisfação com a vida

Resumo

Este estudo investigou os fatores associados à satisfação com a vida de 654 idosos usuários de Unidades Básicas de Saúde de Maringá, Paraná. Foi utilizado um questionário sociodemográfico, o International Physical Activity Questionnaire (IPAQ) e a Escala de Satisfação com a Vida. A análise dos dados foi realizada por meio dos testes de Kruskal-Wallis, Mann-Whitney e correlação de Spearman (p< 0,05). Verificou-se que os idosos com menor poder aquisitivo que se perceberam com saúde ruim e tomam medicamentos regularmente são menos satisfeitos com a vida do que seus pares. Os idosos fisicamente ativos se mostraram mais satisfeitos com a vida do que os sedentários/irregularmente ativos. A satisfação com a vida se associou com os dias de caminhada por semana (r = 0,15). Conclui-se que a renda familiar, a percepção de saúde, o uso de medicamentos e a atividade física são fatores intervenientes na satisfação com a vida.

Biografia do Autor

Daniel Vicentini de Oliveira, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, São Paulo

Doutor em Gerontologia pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Promoção da Saúde pelo Centro Universitário de Maringá. Professor de Graduação e Pós-Graduação no Centro Universitário Metropolitano de Maringá.

Anderson Rodrigues Brito, Faculdade Metropolitana de Maringá, Maringá, Paraná

Especialista em Exercício Físico e Reabilitação do Idoso. Professor de Educação física.

Maria do Carmo Correia de Lima, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, São Paulo

Doutoranda em Gerontologia pela Universidade Estadual de Campinas. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Pernambuco.

Naelly Renata Saraiva Pivetta, Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Campinas, São Paulo

Mestre em Gerontologia pela Universidade Estadual de Campinas. Fisioterapeuta.

José Roberto Andrade do Nascimento Júnior, Universidade Federal do Vale do São Francisco, Faculdade de Educação física, Petrolina, Pernambuco

Doutor em Educação física pela Universidade Estadual de Maringá. Mestre em Educação física pela Universidade Estadual de Maringá. Professor de graduação e pós-graduação na Universidade Federal do Vale do São Francisco.

Referências

Alvarenga, M. R. M. (2011). Social support networks for elderly patients attended by Family Health teams. Ciência & Saúde Coletiva, 16(5), 2603-2611.

Alves, L. S., & Rodrigues, R. N. (2005). Determinantes da autopercepção de saúde entre idosos do Município de São Paulo, Brasil. Revista Panamericana de Salud Publica, 17(5/6), 333-341.

Boeckxstaens, P., Vaes, B., Legrand, D., Dalleur, O., De Sutter, A., & Degryse J. M., (2015). The relationship of multimorbidity with disability and frailty in the oldest patients: A cross-sectional analysis of three measures of multimorbidity in the BELFRAIL cohort. The European journal of general practice, 21(1), 39-44.

Brucki, S. M. D., Nitrini, R., Caramelli, P., Bertolucci, P. H. F., & Okamoto, I. H. (2003). Sugestões para o uso do mini exame do estado mental no Brasil. Arquivos de Neuropsiquiatria, 61(3B), 777-781.

Camarano, A. A. & Pasinato, M. T. (2004). O envelhecimento populacional na agenda das políticas públicas. In, A. A. Camarano (Org.), Os novos idosos brasileiros: Muito além dos 60? Rio de Janeiro: IPEA.

Confortin, S. C., Schneider, I. J. C., Antes, D. L., Cembranel, F., Ono, L. M., Marques, L. . . D’Orsi, E. (2017). Condições de vida e saúde de idosos: resultados do estudo de coorte EpiFloripa Idoso. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 26(2), 305-317.

Diener, E., Emmons, R. A., Larsen, R. J., & Griffin, S. (1985). The satisfaction with life scale. Journal of Personality Assessment, 49, 71-75.

Drummond, A., & Alves, E. D. (2013). Perfil socioeconômico e demográfico e a capacidade funcional de idosos atendidos pela Estratégia Saúde da Família de Paranoá, Distrito Federal. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 16(4), 727-738.

Folstein, M. F., Folstein, S. E., & McHugh, P. R. (1975). Mini Mental state – A practical method for grading the cognitive state of patients for the clinician. Journal of Psychiatric research, 12,189-198.

Hsu, H. C. (2012). Trajectories and covariates of life satisfaction among older adults in Taiwan. Archives of Gerontology and Geriatrics, 55(1), 210-216.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2016). Censo demográfico IBGE. Disponível em http://www.ibge.gov.br.

Joia, L. C., Ruiz, T., & Donalisio, M. R. (2007). Condições associadas ao grau de satisfação com a vida entre a população de idosos. Revista de Saúde Pública, 41(1), 131-138.

Joia, L. C., & Ruiz, T. (2013). Satisfação com a vida na percepção dos idosos. Revista Kairós Gerontologia, 16(6), 79-102.

Lima, A. P., & Delgado, E. I. (2017). A melhor idade do Brasil: aspectos biopsicossociais decorrentes do processo de envelhecimento. ACTA Brasileira do Movimento Humano, 1(2).

Mantovani, E. P., Lucca, S. R., & Neri, A. N. (2016). Associações entre significados de velhice e bem-estar subjetivo indicado por satisfação em idosos. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia 19(2), 203-222.

Matsudo, S., Araújo, T., Matsudo, V., Andrade, D., Andrade, E., Oliveira, L. C., & Braggion, G. (2001). Questionário Internacional de Atividade Física (Ipaq): Estudo de Validade e reprodutibilidade no Brasil. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, 6(2), 5-18.

Mazo, G., Liposcki, D., Ananda, C., & Prevê, D. (2007). Condições de saúde, incidência de quedas e nível de atividade física dos idosos. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(6), 437-442.

Oliveira, D. C., Liberalesso Neri, A., & D’Elboux, M. J. (2016). Ausência de expectativa de suporte para o cuidado aos idosos da comunidade. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(3).

Perracini, M. R., & Ramos, L. R. (2002). Fatores associados a quedas em uma coorte de idosos residentes na comunidade. Revista de Saúde Pública, 36(6), 709-716.

Pilger, C., Menon, M. H., & Mathias, T. A. F. (2011). Características sociodemográficas e de saúde de idosos: Contribuições para os serviços de saúde. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 19(5),1-9.

Pinto, J. M., & Neri, A. L. (2013). Doenças crônicas, capacidade funcional, envolvimento social e satisfação em idosos comunitários: Estudo Fibra. Ciência & Saúde Coletiva, 18(12), 3449-3460.

Santos, A. D., Santana, W. B., Santos, A. M. D., Silva, G. M., & Santos, M. B. (2014). Avaliação de risco cardiovascular em idosos segundo os critérios de Framingham. Scientia Plena, 10(10), 1-10.

Silva, P. L. N., Teixeira, C. I. B. F., Soares, E. D., & Alves, C. R. (2016). Avaliação da qualidade de vida de idosos praticantes de atividade física de uma unidade básica de saúde de Minas Gerais. Revista da Universidade Vale do Rio Verde,14(2), 24-35.

Soares, W. J. S., Moraes, S. A., Ferriolli, E. & Perracini, M. R.(2014). Fatores associados a quedas e quedas recorrentes em idosos: estudo de base populacional. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, 17(1), 49-60.

Souza, W. C., Mascarenhas, L. P. G., Grzelczak, M. T., Tajes Junior, D., Brasilino, F. F., & Lima, V. A. de.. Exercício físico na promoção da saúde na terceira idade. (2015). Saúde e Meio Ambiente: Revista Interdisciplinar, 4(1), 55-65.

Sposito, G., D’Elboux, M. J., Neri, A. L. & Guariento, M. E. (2013). A satisfação com a vida e a funcionalidade em idosos atendidos em um ambulatório de geriatria. Ciência & Saúde Coletiva, 18(12), 3475-3482.

Tomomitsu, V., Scandiuzzi, M. R., Perracini, M. R., & Neri, A. L. (2014). Fatores associados à satisfação com a vida em idosos cuidadores e não cuidadores. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 19(8), 3429-3440.

Publicado
2019-05-21
Seção
Artigos