Processo Patológico do Transtorno de Ansiedade Segundo a Literatura Digital Disponível em Português – Revisão Integrativa

Palavras-chave: ansiedade, saúde mental, psicopatologia, tratamento

Resumo

Com o objetivo de discutir as possibilidades estratégicas quanto aos processos patológicos que envolvem o transtorno de ansiedade, para embasar os profissionais quanto à ansiedade e aos seus tipos, este estudo configura-se como uma pesquisa de caráter integrativo sistematizado, com uma busca on-line das produções científicas na base de dados Biblioteca Virtual de Saúde, utilizando os descritores “Transtorno de ansiedade”, “Ansiedade” e “Tratamento da ansiedade”, veiculados em periódicos de estratos de A1, A2, B1, B2, B3 e B4, disponíveis para download na íntegra, escritos na língua portuguesa. Os achados identificam que as possibilidades estratégicas perante esse transtorno se dão por duas categorias, a Terapia Cognitivo-Comportamental e o Tratamento Humanizado e Apoio Familiar, sendo este último mais eficaz quando associado ao uso de outros tratamentos para a ansiedade. Ressalta-se a importância de estudos e capacitação para atuar efetivamente na prevenção e no tratamento dessa patologia, além de mais estudos sobre a temática.

Biografia do Autor

Lívia Ivo D´'Avila, Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI

Psicóloga. Faculdade de Saúde Ibituruna (FASI).

Fernanda Cardoso Rocha, Faculdade de Saúde Ibituruna - FASIF

Psicóloga. Mestranda em Cuidados Primários em Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Especialista em Saúde da Família. Especialista em Metodologia e Didática do Ensino Superior. MBA em Gestão de Recursos Humanos. Especialista em Psicologia Hospitalar.

Bruna Roberta Meira Rios, Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI

Enfermeira. Especialista em Enfermagem Cardiológica. Docente das Faculdades de Saúde Ibituruna (FASI).

Sabrina Gonçalves Silva Pereira, Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Docente das Faculdades de Saúde Ibituruna (FASI).

Alvaro Parrela Piris, Faculdade de Saúde Ibituruna - FASI

Mestre em Tecnologia da Informação Aplicada à Biologia Computacional pelas Faculdades PROMOVE-BH. Docente das Faculdades de Saúde Ibituruna (FASI).

 

Referências

Almeida, P. A., Silva, P. M. C., Espínola, L. L., Azevedo, E. B., & Ferreira, M. O., Filha (2013). Desafiando medos: relatos de enfrentamento de usuários com transtornos fóbicoansiosos. Revista Brasileira de Enfermagem, 66(4), 528-534. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n4/v66n4a10.pdf

Andrade, L. H. S., Viana, M. C., & Silveira, C. M. (2006). Epidemiologia dos transtornos psiquiátricos na mulher. Archives of Clinical Psychiatry, 33(2), 43-54. Disponível em https://www.revistas.usp.br/acp/article/view/17065/19060

Bergerot, C. D., Laros, J. A., & de Araujo, T. C. C. F. (2014). Avaliação de ansiedade e depressão em pacientes oncológicos: Comparação psicométrica. Psico-USF, 19(2), 187-197. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pusf/v19n2/a02v19n2.pdf

Canguilhem, G. (2009). O normal e o patológico (6a ed.). Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Cantilino, A., Zambaldi, C. F., Sougey, E. B., & Rennó, J. O. E. L., Jr. (2010). Transtornos psiquiátricos no pós-parto. Archives of Clinical Psychiatry, 37(6), 288-294. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rpc/v37n6/a06v37n6

Castillo, A. R. G. L., Recondo, R., Asbahr, F. R., & Manfro, G. G. (2000). Transtornos de ansiedade. Revista Brasileira de Psiquiatria, 22(Supl.2), 20-23. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbp/v22s2/3791.pdf

Chagas, M. H. N., Nardi, A. E., Manfro, G. G., Hetem, L. A., Andrada, N. C. D., Levitan, M. N., . . . & Crippa, J. A. D. S. (2010). Diretrizes da Associação Médica Brasileira para o diagnóstico e diagnóstico diferencial do transtorno de ansiedade social. Revista Brasileira de Psiquiatria, 32(4), 444-452. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbp/v32n4/a19v32n4.pdf

Craske, M., Stein, M. B., & Hermann, R. (2014). Psychotherapy for generalized anxiety disorder. Disponível em www.uptodate.com

Dalgalarrondo, P. (2000). Psicopatologia e semiologia dos transtornos mentais. Porto Alegre: Artmed.

Dittz, C. P., Stephan, F., Gomes, D. A. G., Badaró, A. C., & Lourenço, L. M. (2015). A terapia cognitivo-comportamental em grupo no Transtorno de Ansiedade Social. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 15(3), 1061-1080. Disponível em https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revispsi/article/view/19428/14020

Dualibi, K., Silva, A. S. M., & Jubara, C. F. B. (2013). Como diagnosticar e tratar a depressão. Revista Brasileira de Medicina, 71(12), 23-31.

King, A. L. S., Valença, A. M., Simões, J. P., Neto, Nardi, A. E., & Silva, A. C. D. O. (2012). Subtipo respiratório versus não respiratório no transtorno de pânico com agorafobia: Avaliação com terapia cognitivo-comportamental. Psicologia: Reflexão e Crítica, 25(1), 41-47. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/prc/v25n1/a06v25n1

Kinrys, G., & Wygant, L. E. (2005). Transtornos de ansiedade em mulheres: Gênero influência o tratamento? Revista Brasileira de Psiquiatria, 27(2), 43-50. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbp/v27s2/pt_a03v27s2.pdf

Lessa, L. R., & Fontenelle, L. F. (2011). Toxina botulínica como tratamento para fobia social generalizada com hiperidrose. Revista de Psiquiatria Clínica, 38(2), 84-86. Disponível em https://www.revistas.usp.br/acp/article/view/17371/19408

Levitan, M. N., Chagas, M. H. N., Crippa, J. A. D. S., Manfro, G. G., Hetem, L. A., Andrada, N. C., . . . & Nardi, A. E. (2011). Diretrizes da Associação Médica Brasileira para o tratamento do transtorno de ansiedade social. Revista Brasileira de Psiquiatria, 33(3), 292-302. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbp/v33n3/14.pdf

Marcon, R. M., & Reolon, G. A. (2016). Tripofobia: Um relato de caso do tratamento do medo de buracos. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 18(2), 100-111. Disponível em http://www.usp.br/rbtcc/index.php/RBTCC/article/view/886/482

Martinez, A. S., Oliveira, A. M., Badaró, A. C., Gomes, D. A. G., Peres, F. S., Tavares, F. S., . . . & Lourenço, L. M. (2012). Periódicos da CAPES: perspectiva das dissertações e teses sobre transtorno de ansiedade social/fobia social. Interação em Psicologia, 16(2). Disponível em https://revistas.ufpr.br/psicologia/article/view/24730/20283

Moher, D., Liberati, A., Tetzlaff, J., Altman, D. G., & PRISMA Group (2009). Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: The PRISMA statement. Annals of Internal Medicine, 151(4), 264-269. doi: https://doi.org/10.1371/journal.pmed.1000097

Nardi, A. E. (2006). Some notes on a historical perspective of panic disorder. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 55(2), 154-160. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0047-20852006000200010&script=sci_arttext

Organização Mundial da Saúde. (2016). Saúde mental: Nova concepção, nova esperança. Genebra: Organização Mundial da Saúde. Disponível em http://www.who.int/whr/2001/en/whr01_po.pdf

Paz, C. C. P., Brant, I. L. M., Marques, M. S., & Machado, R. M. (2013). Transtornos fóbico-ansiosos: Abordagem epidemiológica das internações hospitalares. Cogitare Enfermagem, 18(1), 136-141. Disponível em https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232016000200591&script=sci_arttext&tlng=en

Pezzato, F. A., Brandão, A. S., & Oshiro, C. K. B. (2012). Intervenção baseada na psicoterapia analítica funcional em um caso de transtorno de pânico com agorafobia. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 14(1), 74-84. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbtcc/v14n1/v14n1a06.pdf

Sampaio, R. F., & Mancini, M. C. (2007). Estudos de revisão sistemática: Um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista Brasileira de Fisioterapia, 11(1), 83-89. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/rbfis/v11n1/12.pdf

Santos, L. C., Goulart Júnior, E., Canêo, L. C., Lunardelli, M. C. F., & Carvalho, P. L. T. D. (2010). Psicologia e profissão: Neurose profissional e a atuação do psicólogo organizacional frente à questão. Psicologia: Ciência e Profissão, 30(2), 248-261. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pcp/v30n2/v30n2a03

Sardinha, A., Araújo, C. G. S., & Nardi, A. E. (2011). Treinamento físico intervalado como ferramenta na terapia cognitivo-comportamental do transtorno de pânico. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, 60(3), 227-230. Disponível em http://psicologalaismutuberria.com/admin/data/uploads/artigos-pdf/89943f483511f31b69a837c9fd86c4c0.pdf

Sousa, L. P. C., Verdana, K. G. G., & Miasso, A. I. (2016). Adesão ao tratamento medicamentoso por pessoas com transtorno de ansiedade. Cogitare Enfermagem, 21(1), 1-11. Disponível em https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/43510/27515

Zanello, V., & Silva, R. M. C. (2012). Saúde mental, gênero e violência estrutural. Revista Bioética, 20(2), 267-79. Disponível em http://www.revistabioetica.cfm.org.br/index.php/revista_bioetica/article/view/745/776

Zuardi, A. W. (2017). Características básicas do transtorno de ansiedade generalizada. Medicina (Ribeirão Preto, On-line.), 50(Supl.1), 51-55. Disponível em http://www.periodicos.usp.br/rmrp/article/view/127538/124632

Publicado
2019-06-07
Seção
Artigos