Habilidades Sociais e Satisfação Profissional de Médicos que Atendem em Contexto Ambulatorial

Palavras-chave: habilidades sociais, relação médico-paciente, satisfação no trabalho

Resumo

Este estudo teve como objetivo analisar o repertório de habilidades sociais (HS) e a satisfação profissional (SP) de médicos que atendem em contexto ambulatorial. Adotou-se delineamento descritivo, correlacional e transversal. Quarenta e seis médicos, selecionados via amostragem não probabilística, responderam a um Protocolo de Caracterização Individual e ao Inventário de HS2 – versão preliminar. Os principais resultados indicaram: (a) bom repertório, acima da média, para o escore total de HS; (b) bom repertório, abaixo da média, para Conversação e Desenvoltura Social e Assertividade Afetivo-Sexual; bom repertório, acima da média, para Assertividade de Autodefesa e Assertividade de Autoexposição Social; e repertório bastante elaborado para Expressão de Sentimentos Positivos; e (c) correlação positiva entre HS e SP. Um bom repertório de HS facilita ao estabelecimento de um bom vínculo terapêutico, serve de fator de proteção contra o estresse e outros problemas mentais e possibilita a satisfação profissional.

Biografia do Autor

Nádia Prazeres Pinheiro-Carozzo, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Doutoranda em regime de cotutela entre o Programa de Psicologia Clínica e Cultura na Universidade de Brasília (UnB) e o Programa Doutoral em Psicologia da Universidade do Porto (UP). Mestra em Psicologia da Saúde pela Universidad de Málaga (UMA), Espanha. Psicóloga pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Docente no Departamento de Psicologia da UFMA.

Bruno Luiz Avelino Cardoso, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Doutorando em Psicologia na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestre em Psicologia pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA). Psicólogo pela Faculdade Pitágoras.

Catarina Malcher Teixeira, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Mestra em Teoria e Pesquisa do Comportamento pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Psicóloga pela UFPA. Docente no Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Flávia Costa Haidar, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Especialização em curso em Psicologia da Saúde pelo Programa de Residência Multiprofissional em Cardiologia na Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Psicóloga pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Julia Milhomens de Sousa, Universidade Federal do Maranhão (UFMA)

Mestranda em Teoria e Pesquisa do Comportamento na Universidade Federal do Pará (UFPA). Psicóloga pela Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Referências

Abedi, H., Amiri, A. N., Gandaghi, G., & Khanifar, H. (2016). Emotional intelligence and its impact on job satisfaction of employees (Case study: Qom Regional Water Company). International Journal of Scientific Management and Development, 4(2), 43-47. Recuperado de http://www.ijsmd.com/index.php/archive/2-uncategorised/349-7314

Arruda, C. A. M. & Bosi, M. L. M. (2017). Satisfação de usuários da atenção primária à saúde: um estudo qualitativo no Nordeste do Brasil. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 21, 321-332. doi:http://dx.doi.org/10.1590/1807-57622015.0479

Associação Médica Mundial. (1964). Declaração de Helsinque: Princípios éticos para a pesquisa em seres humanos. Helsinque: AMA. Recuperado de https://www.ufrgs.br/bioetica/helsin1.htm

Barletta, J. B. (2018). A terapia cognitivo-comportamental e a psicologia da saúde: Reflexões da atuação em contexto hospitalar a partir do filme Um Golpe do Destino. In: B. L. A. Cardoso & J. B. Barletta (Orgs.), Terapias Cognitivo-Comportamentais: Analisando teoria e prática por meio de filmes (pp. 351-377). Nova Hamburgo: Sinopsys.

Barletta, J. B. (2008). Psicologia da saúde e medicina comportamental: Foco na atuação profissional. Cadernos UFS. Psicologia, X(5), 19-37.

Barletta, J. B. (2014). A relação médico-paciente na graduação de medicina: Avaliação de necessidades para a educação médica. (Tese de doutorado em Ciências da Saúde, Núcleo de Pós-Graduação em Medicina, Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa, Universidade Federal de Sergipe). Recuperado de https://ri.ufs.br/handle/riufs/3558

Barletta, J. B., Gennari, M. S., & Cipolotti, R. (2011). A perspectiva cognitivo-comportamental dos aspectos psicossociais que interferem na qualidade da relação médico-paciente. Psicologia em Revista, 3(7), 396-413. Recuperado de http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/viewFile/P.1678-9563.2011v17n3p396/3765

Barletta, J. B., Murta, S. G., Cardoso, M. P., Gennari, M. S., & Cipolotti, R. (2014). Análise qualitativa da relação médico-paciente à luz das habilidades sociais: Perspectiva de pacientes do SUS. In A. L. B. Fonsêca (Org.), Comportamento, desenvolvimento e cultura (pp. 11-32). Curitiba: CRV.

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Resolução n. 466 (12 de dezembro). Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html

Brasil. (2014). Ministério da Educação. Resolução n. 3 (20 de junho). Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15874-rces003-14&category_slug=junho-2014-pdf&Itemid=30192

Braz, A. C., Fontaine, A. M. V. G., Del Prette, A., & Del Prette, Z. A. P. (2016). IHS-Del-Prette: Análise fatorial exploratória e confirmatória para 18 a 60 anos. [Manuscrito não publicado. Disponível com os autores].

Cardoso, B. L. A., Alves, D. H. O., Teles, G. C. S., Leite, I. C. R., & Barletta, J. B. (2015). O ensino das habilidades sociais no curso de Medicina: Contribuições para a relação médico-paciente. Anais do II Congresso Internacional Médico Acadêmico do Maranhão, São Luís, Maranhão, Brasil.

Cardoso, J. V. (2016). Satisfação de usuários sobre serviços em saúde: aspectos comunicacionais da relação médico-paciente (Monografia de Graduação em Psicologia). Recuperado de http://repositorio.uniceub.br/bitstream/235/10333/1/21162537.pdf

Chamorro-Premuzic, T. & Furnham, A. (2010). The Psychology of Personnel Selection. Cambridge: Cambridge University Press.

Chen, G., Kanfer, R., DeShon, R. P., Mathieu, J. E., & Kozlowski, S. W. J. (2009). The motivating potential of teams: Test and extension of Chen and Kanfer’s (2006) cross-level model of motivation in teams. Organizational Behavior and Human Decision Processes, 110(1), 45-55. doi:https://doi.org/10.1016/j.obhdp.2009.06.006

Colombo, G., & Prati, L. E. (2014). Maturidade para escolha profissional, habilidades sociais e inserção no mercado de trabalho. Revista Brasileira de Orientação Profissional, 15(2), 201-212. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rbop/v15n2/10.pdf

Dancey, C. P. & Reidy, J. (2018). Estatística sem matemática para Psicologia. Rio Grande do Sul: Penso.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2003). No contexto da travessia para o ambiente de trabalho: treinamento de habilidades sociais com universitários. Estudos de Psicologia, 8(3), 413-420. Recuperado de http://www.scielo.br/pdf/%0D/epsic/v8n3/19963.pdf

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2014). Psicologia das relações interpessoais: Vivências para o trabalho em grupo. Petrópolis: Vozes.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2017). Competência social e habilidades sociais: Manual teórico-prático. Petrópolis: Vozes.

Del Prette, A. & Del Prette, Z. A. P. (2018). Inventário de Habilidades Sociais 2 (IHS-2-Del-Prette): Manual de aplicação, apuração e interpretação. São Paulo: Pearson.

Furtado, E. de S., Falcone, E. M. de O., & Clark, C. (2003). Avaliação do estresse e das habilidades sociais na experiência acadêmica de estudantes de medicina de uma universidade do Rio de Janeiro. Interação em Psicologia, 7(2), 43-51. doi:http://dx.doi.org/10.5380/psi.v7i2.3222

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Editora Atlas SA.

Grazziotin, J. B. D. & Scortegagna, S. A. (2013). Relacionamento interpessoal, produtividade e habilidades sociais: Um estudo correlacional. Psico-USF, 18(3), 491-500. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S1413-82712013000300015

Hennekam, S. (2015). Career success of older workers: the influence of social skills and continuous learning ability. Journal of Management Development, 34(9), 1113-1133. doi:http://dx.doi.org/10.1108/JMD-05-2014-0047

Hoyos, H. P. A., Cardona, R. M. A., & Correa, S. D. (2008). Humanizar los contextos de salud, cuestión de liderazgo. Investigación y Educación en Enfermería, 26(2), 218-225. Recuperado de http://www.redalyc.org/pdf/1052/105212447004.pdf

Jorge, C. C. (2015). Habilidades sociais na relação médico-paciente e satisfação no atendimento em serviço público e privado. (Dissertação de Mestrado em Psicologia, Universidade Federal de São Carlos). Recuperado de http://www.ppgpsi.ufscar.br/pdf/Dissertacao-Cynthia-Carvalho-Jorge_072528.pdf

John, J. (2009, Out./Dez.). Study on the nature of impact of soft skills training programme on the soft skills development of management students. Pacific Business Review, 19-27. Recuperado de https://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=1591331

Kelley, J. M., Kraft-Todd, G., Schapira, L., Kossowsky, J., & Riess, H. (2014) The influence of the patient-clinician relationship on healthcare outcomes: A systematic review and meta-analysis of randomized controlled trials. PLoS One, 4. doi: http://dx.doi.org/10.1371/journal.pone.0094207

Lindqvist, E. & Westman, R. (2011). The labor market returns to cognitive and non-cognitive ability: Evidence from the swedish enlistment. American Economic Journal: Applied Economics, 3, 101-128. doi:http://dx.doi.org/10.1257/app.3.1.101

Magalhães, P. P. & Murta, S. G. (2003). Treinamento de habilidades sociais em estudantes de psicologia: Um estudo pré-experimental. Temas em Psicologia da SBP, 11(1), 28-37. Recuperado de http://pepsic.bvsalud.org/pdf/tp/v11n1/v11n1a04.pdf

Martins, L. F. P., Meneghim, M. C., Martins, L. C., & Pereira, A. C. (2014). Avaliação da qualidade nos serviços públicos de saúde com base na percepção dos usuários e dos profissionais. Revista da Faculdade de Odontologia, 19(2), 151-158. doi:http://dx.doi.org/10.5335/rfo.v19i2.3566

Mazor, K. M., Beard, R. L., Alexander, G. L., Arora, N. K., Firneno. C., Gaglio. B. … & Gallagher, T. H. (2013). Patients’ and family members’ views on patient-centered communication during cancer care. Psycho-Oncology, 22(11), 2487-95. doi:http://dx.doi.org/10.1002/pon.3317

Mohammad, N., Akhtar, S., Rahman, M. K. U., & Haleem, F. (2018). The moderating effect of age, gender and educational level on relationship between emotional intelligence and job satisfaction: An analysis of the banking sector of Pakistan. Middle East Journal of Business, 13(3). Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/326200807

Morokoff, P. J., Quina, K., Harlow, L. L., Whitmire, L., Grimley, D. M., Gibson, P. R., & Burkholder, G. J. (1997). Sexual Assertiveness Scale (SAS) for women: Development and validation. Journal of personality and social psychology, 73(4), 790-804. doi:http://dx.doi.org/10.1037/0022-3514.73.4.790

Ng, T. W. H., Eby, L. T., Sorensen, K. L., & Feldman, D. C. (2005). Predictors of objective and subjective career success: a meta-analysis. Personnel Psychology, 58(2), 367-408. doi:http://dx.doi.org/10.1111/j.1744-6570.2005.00515.x

Oliveira, A., Silva Neto, J. C., Machado, M. L. T., Souza, M. B. B., Feliciano, A. B., & Ogata, M. N. (2008). A comunicação no contexto do acolhimento em uma unidade de saúde da família de São Carlos. Interface - Comunicação, Saúde, Educação, 12(27), 749-762. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832008000400006

Pereira-Lima, K., & Loureiro, S. R. (2015). Burnout, anxiety, depression, and social skills in medical residents. Psychology, Health & Medicine, 20(3), 353-362. doi:http://dx.doi.org/10.1080/13548506.2014.936889

Robinson, J. D., Hoover, D. R., Venetis, M. K., Kearney, T. J., & Street Jr., R. L. (2013). Consultations between patients with breast cancer and surgeons: A pathway from patient-centered communication to reduced hopelessness. Journal of Clinical Oncology, 31(3), 351-358. doi:http://dx.doi.org/10.1200/JCO.2012.44.2699

Rocha, B. V, Gazin C. C., Pasetto C. V., & Simões J. C. (2011). Relação Médico-Paciente. Revista do Médico Residente, 13(2), 114-118. Recuperado de http://crmpr.org.br/publicacoes/cientificas/index.php/revista-do-medico-residente/article/view/8/13

Scheffer, M., Biancarelli, A., & Cassenote, A. (2015). Demografia médica no Brasil. Departamento de Medicina Preventiva, Faculdade de Medicina da USP. Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Conselho Federal de Medicina. São Paulo, 284. Recuperado de https://jornal.usp.br/wp-content/uploads/DemografiaMedica2018.pdf

Schimith, M. D., Simon, B. S., Bretas, A. C. P., & Budo, M. L. D. (2011). Relações entre profissionais de saúde e usuários durante as práticas em saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 19(3), 479-503. doi:http://dx.doi.org/10.1590/S1981-77462011000300008

Simões, C. R. & Barletta, J. B. (2009). Processo de somatização e a relação profissional-paciente: O olhar do médico sobre os aspectos psicológicos no desenvolvimento da doença. Cadernos de graduação – Ciências biológicas e da saúde, 9(9).

Stouthard, J., Brom, L., & Buiting, H. M. (2017). Having a Conversation with a Patient with Incurable Cancer – Just Another Protocol? JAMA oncology, 3(10), 1305-1306. Recuperado de https://jamanetwork.com/journals/jamaoncology/article-abstract/2601223

Straub, R. O. (2014). Psicologia da saúde: Uma abordagem biopsicossocial. Cidade: Artmed Editora.

Traiber, C. & Lago, P. M. (2012). Comunicação de más notícias em pediatria. Boletim Científico de Pediatria, 1(1). Recuperado de http://www.sprs.com.br/sprs2013/bancoimg/131210152030bcped_12_01_02.pdf

Zadeh, E. & Hashemi, L. (2017). Relationship between the assertiveness levels with occupational satisfaction and stress among hospital personnel. Indian Journal of Positive Psychology, 8(4), 524-527. Recuperado de https://search.proquest.com/openview/b39204a658fdefd0fcc49fe46168a62f/1?cbl=2032133&pq-origsite=gscholar

Publicado
2021-02-26
Como Citar
Pinheiro-Carozzo, N. P., Cardoso, B. L. A., Teixeira, C. M., Haidar, F. C., & de Sousa, J. M. (2021). Habilidades Sociais e Satisfação Profissional de Médicos que Atendem em Contexto Ambulatorial. Revista Psicologia E Saúde. https://doi.org/10.20435/pssa.vi.808
Seção
Artigos