Revisão Integrativa sobre a Vivência de Mães de Crianças com Transtorno de Espectro Autista

Palavras-chave: transtorno autístico, relações mãe-filho, mães, estresse, sobrecarga emocional

Resumo

Geralmente, é a mãe da criança com transtorno de espectro autista (TEA) que busca tratamento, dedica-se nos cuidados de seu filho, faz adaptações em seu cotidiano, podendo ter empobrecimento em sua vida social, afetiva e profissional, o que pode acarretar desgaste físico e emocional a essa mulher. O objetivo deste estudo foi identificar na literatura científica a sobrecarga das mães de crianças com TEA e as formas encontradas por elas para lidar com dificuldades cotidianas decorrentes dessa problemática. Foi realizada revisão integrativa da literatura dos últimos doze anos, em artigos científicos relacionados à temática citada. Do procedimento de busca, resultaram seis artigos para o banco final de análise. Os resultados apontam a sobrecarga emocional com o enfrentamento dessa fase, a perda do filho idealizado, confusão de sentimentos, medo, estresse, ter de lidar com o preconceito, assim como a necessidade dessa mãe em ter auxílio no cuidado com o filho.

Biografia do Autor

Teresinha Cid Constantinidis, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES)

Doutora em Psicologia pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Mestre em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (USP). Professora adjunta IV do Departamento de Terapia Ocupacional e professora do Programa de Pós-Graduação em Psicologia da UFES.

Alinne Souza Pinto, Universidade Federal do Espírito Santo

Terapeuta Ocupacional pela Universidade Federal do Espírito Santo. Terapeuta ocupacional do Centro de Referência de Assistência Social (CREAS-Centro), Vitória, ES.

Referências

American Psychiatric Association. (2013). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (5th ed.). Arlington, VA: American Psychiatric Publishing.

Bradford, R. (1997). Children, families and chronic disease. Londres: Routledge.

Brasil. (2015). Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Linha de cuidado para a atenção às pessoas com transtornos do espectro do autismo e suas famílias na Rede de Atenção Psicossocial do Sistema Único de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Campos, H. P. F., & Soares, C. B. (2005). Representação da sobrecarga familiar e adesão aos serviços alternativos em saúde mental. Psicologia em Revista, 11(18), 219-237. Disponível em http://periodicos.pucminas.br/index.php/psicologiaemrevista/article/view/233/243

Cairo, S., & Sant’Anna, C. C. (2014). Estresse em mães e cuidadoras de crianças e adolescentes com asma: um estudo sobre a frequência do estresse e fatores estressores. Cadernos Saúde Coletiva, 22(4), 393-400. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1414-462X201400040013

Constantinidis, T. C., Silva, L. C., & Ribeiro, M. C. C. (2018). “Todo mundo quer ter um filho perfeito”: Vivências de mães de crianças com autismo. Psico-USF, 23(1), 47-58. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1413-82712018230105

Ebertb, M., Lorenzinic, E., & Silva, F. E. (2015). Mães de crianças com transtorno autístico: Percepções e trajetórias. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36(1), 49-55.

Ferreira, M., & Smeha, L. N. (2018). A experiência de ser mãe de um filho com autismo no contexto da monoparentalidade. Psicologia em Revista, 24(2), 462-481.

Franco, V. (2015) Paixão-dor-paixão: Pathos, luto e melancolia no nascimento da criança com deficiência. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, 18(2), 204-220. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1415-4714.2015v18n2p204.2

Gutierrez, D. M. D., & Minayo, M. C. S. (2009). Papel da mulher de camadas populares de Manaus na produção de cuidados da saúde. Saúde e Sociedade, 18(4), 707-20. Disponível em https://www.revistas.usp.br/sausoc/article/download/29496/31356

Kupfer, M. (2000). Notas sobre o diagnóstico diferencial da psicose e do autismo na infância. Psicologia USP, 11(1), 85-105. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-65642000000100006

Lei n. 12.764, de 27 de dezembro de 2012. (2012). Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF.

Matsukura, T. S., Marturano, E. M., Oishi, J., & Borasche, B. (2007) Estresse e suporte social em mães de crianças com necessidades especiais. Revista Brasileira de Educação Especial, 13 (3), 415-28. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1413-65382007000300008

Matsukura, T., & Sime, M. (2008), Demandas e expectativas de famílias de crianças com necessidades especiais: de situações do cotidiano aos técnicos envolvidos no tratamento. Temas sobre Desenvolvimento, 16(94):214-220

Meimes, M. A., Saldanha, C. H., & Bosa, A. C. (2015). Adaptação materna ao transtorno do espectro autismo: Relações entre crenças, sentimentos e fatores psicossociais. Psico, 46(4), 412-422.

Milbrath, V. M., Cecagno, D., Soares, D. C., Amestoy, S. C., & Siqueira, H. C. H. (2008). Ser mulher mãe de uma criança portadora de paralisia cerebral. Acta Paulista de Enfermagem, 21(3), 427-431. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002008000300007

Minatel, M. M., & Matsukura. T. S. (2014). Famílias de crianças e adolescentes com autismo: Cotidiano e realidade de cuidados em diferentes etapas do desenvolvimento. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, 25(2), 126-134. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2238-6149.v25i2p126-134

Misquiatti, A. R. N., Brito, M. C., Ferreira, F. T, S., & Assumpção, F. B. Junior. (2015). Sobrecarga familiar e crianças com transtornos do espectro do autismo: Perspectiva dos cuidadores. Revista CEFAC: Atualização Científica em Fonoaudiologia e Educação, 17(1), 192-199. doi: https://dx.doi.org/10.1590/1982-0216201520413

Monteiro, S. F. C., Batista, M. N. O. D., Moraes, C. C. E., Magalhaes, S. T., Nunes, T. V. M. B., & Moura, B. E. M. (2008). Vivências maternas na realidade de ter um filho autista: Uma compreensão pela enfermagem. Revista Brasileira de Enfermagem, 61(3), 330-335.

Najarsmeha, L., & Cezar, K. P. (2011). A vivência da maternidade de mães de crianças com autismo. Psicologia em Estudo, 16(1), 43-50. doi: https://doi.org/10.1590/S1413-73722011000100006

Nunes, F. A. M., & Santos, A. M. (2010). Depressão e qualidade de vida em mães de crianças com Transtornos Invasivos do Desenvolvimento. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 18(1), 1-9.

Pinto, R. N. M., Torquato, I. M. B., Collet, N., Reichert, A. P. S., Souza Neto, V. L., & Saraiva, A. M. (2016). Autismo infantil: Impacto do diagnóstico e repercussões nas relações familiares. Revista Gaúcha de Enfermagem, 37(3), e61572. https://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2016.03.61572

Piovesan, J., Scortegagna, A. S., & Marchi, B. A. (2015). Qualidade de vida e sintomatologia depressiva em mães de indivíduos com autismo. Psico-USF, 20(3), 505-515. doi: https://doi.org/10.1590/1413-82712015200312

Rendón, D. C. S. (2016). Vivências de mães de crianças com transtorno de espectro autista: Implicações para a enfermagem (Dissertação de Mestrado em Enfermagem, Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais). Disponível em https://repositorio.ufjf.br/jspui/handle/ufjf/4052

Sanini, C., Brum, M. H. E, & Bosa, A, C. (2010) Depressão materna e implicações sobre o desenvolvimento infantil do autista. Rev. Bras. de Crescimento e Desenvolvimento Humano, 20(3), 809-815.

Schmidt, C., & Bosa, C. (2007) Estresse e auto-eficácia em mães de pessoas com autismo. Arquivos Brasileiros de Psicologia, 59(2), 179-191. Disponível em http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672007000200008&lng=pt&nrm=iso

Schmidt, C., Dell’aglio, D., & Bosa, C. A. (2007). Estratégias de copping de mães de portadores de autismo: Lidando com dificuldades e com a emoção. Psicologia: Reflexão e Crítica, 20 (1), 124-131. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-79722007000100016

Scorsolini-Comin, F., & Santos, M. (2010). Satisfação conjugal: Revisão integrativa da literatura científica nacional. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(3), 525-532. doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-37722010000300015

Publicado
2019-05-31
Seção
Artigos